Death Note é considerado um clássico contemporâneo das animações japonesas, com sua mais recente adaptação em um filme live-action produzida pela Netflix estreiando hoje! Falamos um pouco sobre os lançamentos de Agosto aqui e aqui.

Separamos algumas informações e curiosidades pra você, é, você mesmo que nunca ouviu falar dessa obra ou somente conhece por alto aquilo que seus amigos contam para te convencer que essa história é diferente de tudo ou, pior, só sabe que ela existe por causa da Netflix (se for esse o caso, onde vc se encondeu todos esses anos?). Então, senta que lá vem só um pouco de história, pra não estragar nenhuma surpresa no final.

PS: Se você já conhece, deixe suas considerações nos comentários pois queremos muuuuuuuito conversar sobre esse assunto.

1. Death Note é baseado em uma série de mangá de mesmo nome escrita pelo Tsugumi Ohba e ilustrada por Takeshi Obata, originalmente publicada semanalmente na revista Shonen Jump no Japão entre 2003 e 2006, e aqui no Brasil pela editora JBC, entre 2006 e 2008. Diferenciando-se pela sua temática, mais densa e pesada, e enredo com vários diálogos longos e bem construídos entre os personagens principais, faz com que a obra se aproxime mais de um Seinen (gênero de mangá voltado para um público mais adulto e maduro) do que um Shonen (gênero de mangá com foco no público masculino e infantil), o gênero mais comum publicado na revista. O mangá acabou sendo taxado em sua primeira aparição como o “O patinho feio da Shonen Jump”, mas as críticas logo sumiram na medida em que a história era contada e sua complexabilidade moral e social era explorada.

2. Ninguém sabe quem é o grande Tsugumi Ohba, o roteirista da série. Sabe-se apenas o que é dito pela licenciadora norte americana da versão animada do mangá, que segundo Viz Media, nasceu em Tokyo, tem como hobby colecionar xícaras de chá e gasta seu tempo trabalhando em histórias para seus futuros mangás. Muitos especulam que o nome seja um pseudônimo de algum escritor mais famoso, já alguns acreditam que o criador do mangá Tottemo! Luckyman, Hisrosho Gamõ, seja a real identidade de Ohba, devido a fortes referências e ligações entre Bakuman (outro mangá que nasceu do trabalho conjunto de Ohba e Obata) e a sua obra.

3. Em 2006, o mangá foi adaptado para TV como animê, contendo 37 incríveis episódios. Com certeza foi essa a mídia responsável por introduzir uma gama enorme de pessoas fora do Japão aos famigerados animês. Cada personagem do ramo principal do animê, possuía uma trilha característica que tocava em momentos chaves dos episódios tornando os momentos de tensão e até os conflitos intelectuais entre os personagens em cenas icônicas, talvez algo semelhante ocorra nesse novo filme. E para a alegria de todos os episódios estão disponíveis na Netflix!

 

4. Já existem alguns filmes live-action do mangá. O primeiro filme foi lançado em 2006 e teve como título Death Note, ocupando o primeiro lugar da bilheteria japonesa por duas semanas inteiras! Também em 2006, o filme teve como sequência direta Death Note: The Last Name. Ambos os filmes adaptaram os arcos principais do animê: a disputa intelectual entre L, o melhor detetive do mundo, e Light Yagami, o Kira com seu senso de justiça distorcido do convencional (será mesmo?). Com algumas mudanças no enredo e um final um pouco diferente do que o original, os live-actions japoneses fizeram uma adaptação fiel em grande parte da produção. Além destes, foi produzido um spin-off dos filmes, em 2008, denominado de L: Change the World, que mostra um arco onde o detetive L tem que lidar com um grupo de bioterroristas após os eventos dos dois primeiros filmes. Um quarto filme foi produzido em 2016, Death Note: Light Up the New World,  uma trama onde seis novos Death Notes caem subitamente na Terra, em diferentes partes do mundo, com a trama se desenrolando a partir dos diferenças entre as atitudes e pensamentos dos possuidores dos cadernos, algumas favoráveis a justiça de kira e outras nem tanto.

Death Note Live Action

5. Em 2015, Death Mote virou musical no Japão e na Coreia do Sul. Acredite ou não, o musical foi originalmente composto em inglês e por um compositor da Broadway, porém nenhuma produção chegou a ser concretizada na língua.

6. Para os adoradores de Doramas: saibam que a série também virou Dorama em 2015! Apesar de mostrar a mesma história, a adaptação teve a oportunidade de se aprofundar um pouco na história de alguns personagens, uma vez que esta possui 11 episódios para desenvolver a trama. Houve algumas mudanças na personalidades de certos personagens e também o adiantamento do aparecimento de outros que só viriam a dar as caras em algum momento posterior segundo o material original. Estas mudanças são o que mais diferencia a série televisiva das outras adaptações. A série foi ao ar de 5 de julho até 13 de setembro de 2015 na rede japonesa Nippon Television, e é transmitido no Brasil pela Crunchyroll.

Death Note Dorama

7. E de que seria um história sem seus personagens? Deixo aqui um breve resumo sobre os elementos principais dessa trama. (via DeathNote Wiki)

Light Yagami é o principal protagonista da série. Depois de descobrir o death note, ele decide usá-lo para livrar o mundo dos criminosos. Seus milagres são eventualmente rotulados por pessoas do Japão como o trabalho de “Kira”.

Ryuk é um Shinigami que segue o estudante Light Yagami após ter deixado o seu Death Note cair no mundo humano. Como todo Shinigami, Ryuk só pode ser visto por pessoas que tocaram em seu Death Note. Ele ama maçã e estava entediado com o Mundo dos Shinigamis e propositadamente, largou o seu Death Note no mundos humanos, na esperança de se entreter.

L é um detetive de renome mundial que assume o desafio de capturar o serial killer conhecido apenas como Kira. Em sua investigação, L torna-se altamente suspeito de Light Yagami e torna seu objetivo de provar que a Light Yagami é Kira. Conhecido por nunca falhar em seus casos, e sempre escolher apenas os que lhe interessam investigar.

8. Como já dito, a versão live-action de Death Note pela Netflix foi lançada hoje! Obviamente voltado para o público ocidental, o longa pode conter mudanças que podem, ou não, causar grande um alvoroço entre os fãs da série original e ao mesmo tempo fazer a história chegar em novos públicos. Se você é fã da série original e se encontra com uma pulga atrás da orelha, fique sabendo que o produtor do filme, Masi Oka, foi ao Japão mostrar pessoalmente o filme para os criadores da série, Ohba e Obata. Na amostra privada eles declararam “Obrigado!” e “Nós amamos o filme” (via Comic Book ). O aval de aprovação dos criadores nós temos, basta apenas tirar as nossas próprias conclusões após assistirmos ao filme.

Vocês já tiveram contato com alguma das produções de Death Note? Já assistiram o filme da Netflix? Conta pra gente!

 

Clique AQUI para ver nosso último post!