Com certeza (ou não) você já leu muitos livros e contos em 1ª pessoa, o mesmo pode-se dizer da 3ª pessoa (ou não²). Mas qual será a melhor escolha de foco narrativo na hora de escrever a sua história?

Vamos começar do básico, ok? (provavelmente essa parte você pode pular, mas é preciso te-la aqui)

 

Básico

1ª Pessoa – É quando o narrador que conta a história participa da história como personagem principal (Na grade maioria das vezes).

Exemplo: Eu estava prestes a cair do penhasco quando Carlos segurou meu pulso numa tentativa de segurar minha vida em suas mãos. Senti-me novamente apegada a vontade de viver e pulei em seus braços, porém sem querer pisei em seu dedão e ele me jogou do penhasco num impulso de raiva.

3ª Pessoa – É quando o narrador que conta a história não participa da história.

Exemplo: Ana estava prestes a cair do penhasco quando Carlos segurou seu pulso numa tentativa de segurar sua vida nas mãos. Ana Sentiu-se novamente apegada a vontade de viver e pulou nos braços de Carlos, porém sem querer pisou em seu dedão e ele a jogou do penhasco num impulso de raiva.

 

 

Retomando a pergunta, a forma narrativa a ser usada dependerá de:

Foco:

Psicológico – Se sua história pretende focar a parte psicológica do personagem principal é recomendado usar a 1ª Pessoa, onde obviamente você terá a liberdade de explorar seus sentimentos, trejeitos e conceitos filosóficos tanto dentro de sua mente quanto em suas reações ao mundo. É possível focar o psicológico na narrativa da 3ª Pessoa, mas não seria o mais recomendado.

Exemplo: A Saga Crepúsculo apesar de odiada por muitos é uma saga muito bem escrita, em parte pelo fato de que o texto em 1ª Pessoa favorece os sentimentos de Bella, contribuindo para maior imersão do leitor.

Informativo – A 3ª Pessoa ajuda muito em histórias complexas que precisam de mais informações do que um personagem normalmente repararia/receberia. Onde você tem liberdade para detalhar cenários, cenas e informações até “fora de contexto” sem perder a progressão da história. 1ª pessoa para textos informativos são possíveis, mas é muito fácil perder um pouco da imersão da realidade com essa escolha.

Exemplo: A Saga Cronicas de Gelo e Fogo (Game of thrones para os leigos [guerra dos tronos para os mais leigos ainda]) que para poder passar toda a quantidade de informação que necessitara, conseguiu fazer-lhe bem com a 3ª Pessoa, Ou o Guia do Mochileiro das Galáxias que consegue sair do tema principal e da história com divagações justamente por ser escrito em 3ª Pessoa.

Número:

1 pessoa – Quando sua história segue apenas 1 pessoa é indiferente usar 1ª ou 3ª Pessoa, isso dependerá dos outros pontos que ajudarão na sua escolha.

Exemplo: Admirável Mundo Novo narra em 3ª Pessoa e cumpre bem seu papel com apenas 1 personagem principal ao passo que Crepúsculo também o faz em 1ª Pessoa.

Mais de 1 pessoa – Para 2 ou mais pessoas sendo focadas na sua história é melhor usar a 3ª Pessoa, isso evitará a confusão na cabeça do leitor ao tentar separar as mentes dos personagens.

Exemplo: A Saga Cronicas de Gelo e de Fogo que narra vários personagens em 3ª pessoa, tentar imaginar o mesmo livro em 1ª pessoa me dá dores de cabeça.*[opinião]

Gênero:

O gênero muitas vezes irá mostrar-lhe qual a melhor escolha para sua narrativa, não é possível abordar esse tópico aqui porque este é muito pessoal e passível de exploração uma vez que os gêneros se misturam e são reformulados, mas é fácil saber a resposta quando se consegue saber qual dos pontos dos tópicos anteriores seu gênero pede.

Obs: não se prenda a essas “regras” de narrativa, experimente as formas em conjunto com cada ponto em pequenos contos, isso será um ótimo exercício criativo.

About The Author

Related Posts