“Você vai rir, vai chorar e ainda vai querer mais.” Markus Zusak, A Menina que Roubava Livros.

E eles se conhecem. Daí um amor não correspondido nasce, mas o  “não correspondido” passa a ser “reconhecido” e a partir desse momento “totalmente correspondido”. E eles ficam juntos, o mocinho e a mocinha. No meio do romance há uma briga e/ou uma discussão onde eles acabam se afastando, mas no final de tudo eles voltam a ficar juntos… Para sempre.

Eis ai um romance que podemos chamar de clichê ou romance à teoria Nicholas Sparks (casais perfeitos fisicamente e na personalidade e histórias óbvias e utópicas. OBS: Nada contra, eu gosto.) com o qual muitas pessoas já estão acostumadas. Mas e se o romance fosse levado para um lado mais real? Personagens normais, com histórias normais e vivendo em situações que muitas pessoas hoje são obrigadas a viver. Foi isso que John Green fez.

A Culpa é das Estrelas conta a história de Hazel Grace, uma garota de 16 anos que sofre de metástase nos pulmões e Augustus Waters, um garoto de dezessete anos, ex-jogador de basquete que perdeu uma de suas pernas por causa da osteosarcoma. Eles se conhecem em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer, onde ela sempre vai e ele foi uma vez para fazer companhia para um amigo. E a partir desse dia as coisas começam a mudar na vida de Gus e Hazel.

O livro é emocionante e apaixonante. Você se fica preso tanto à história quanto aos personagens e o que eles vivem. O que difere esse “romance” de muitos outros é que ele não é óbvio, você imagina algo na sua cabeça e PIMBA! A história toma outro rumo. Você ri nas partes engraçadas, medita nas partes filosóficas e chora nas partes emocionantes, e ainda fica se perguntando: “porque eu não posso ter um Gus ou uma Hazel para mim?”. ACEDE nos mostra que todos podem viver sua própria história de amor.

Sim, você pode e vai ouvir pessoas por aí falando que esperavam muito mais do livro, ou que ele é como qualquer outra história de amor. Cada um tem sua opinião, claro, mas eu só te digo uma coisa: você não vai se arrepender.

O filme teve sua adaptação lançada em junho de 2014, e ficou em primeiro lugar nas bilheterias americanas. A Culpa é das Estrelas já está disponível para download em vários sites. E para quem ainda não viu, confira o trailer abaixo:

 

Editora: Intríseca

Páginas: 255

Adicione no Skoob: A Culpa é das Estrelas

Adquira o livro: Livraria CulturaAmericanasSaraiva e Submarino.

About The Author

Às vezes gosta de romance, as vezes não. Às vezes gosta de drama, às vezes não. Às vezes eclética, às vezes não. Não sou bipolar... às vezes. Bianca, sóbria a 19 anos. Viva a 18 anos. Admiradora de tudo o que parece mais não é, e futura alguma-coisa-da-vida. Adoro ler e principalmente ver as obras que eu gosto entrando no meio cinematográfico, por isso estou formando grupos rebeldes para atacar quem não sabe escolher personagens e muda a história na sua adaptação. Entre em contato: vamos-matar-quem-não-sabe-fazer@rebelião.com Viciada em filmes e séries, gosto de ter livros de capas bonitas mesmo que o enredo não seja bom e enlouqueço quando alguma personagem de qualquer história é uma garota badass. Eu deveria estar estudando.

Related Posts

  • Tabibito-san

    “Você não fez uma resenha do livro,e agora está resenhando o filme{http://www.papodecafeteria.com/resenha-culpa-e-das-estrelas/}?”,era o que assinalaria interrogativamente.Recordava que tinha comentado no post de alguém -Luiz Fernando Teodosio,o qual tive de verificar para me situar- sobre esse livro,e hoje é a tua vez.E como não tinha ainda falado com você -ao menos não de modo mais particular como em postagens feitas em conjunto- : “Oi,Bianca Linguicinha”.

    Little game de palavras no parágrafo 1;efeito colateral da literatura. ^^ E levando pelo lado de “jogo”,Nicholas Sparks e John Green oferecem o do tipo “de azar”,segundo a tradição do “deixar o melhor pro final”. *A título de curiosidade: A adaptação cinematográfica Sparks vista,O Melhor de Mim(2014),foi a última que vi bem
    recentemente.Há muita beleza,tristeza,paixão e agridoce na “vida que acontece”;talvez tenha ciência do livro/filme.*

    “Hazel Grace e Augustus ‘Gus’ Waters”,ao ouvir os nomes deles eu penso que John Green soa como se tivesse nominado os personagens como o dano-norueguês Hans
    Christian Andersen.OS Contos de Fadas,tais quais Hans Christina Andersen escrevia,têm camadas e não somente o de simples entendimento,tal como reduzir A Culpa é das
    Estrelas ao “um romance de adolescentes com câncer,aí”.Se for para soar com certa pretensão: “A Culpa é das Estrelas pode ser tão comum quanto o nível de compreensão do espectador possa ser”.

    . P.S.: O Nome do livro/filme rende uma legal frase de impacto/humorística. =p

    Nós vemos por aí?? xp