Eu poderia dizer que é muito fácil fazer uma resenha sobre qualquer um dos livros do Jão Verde. Se pararmos para analisar, ele usa a mesma linha de pensamento em todos os seus livros: o(a) protagonista é alguém com uma personalidade totalmente comum mas com um diferencial muito forte e esse(a) protagonista sempre se apaixona por alguém com uma personalidade forte, irreverente e chamativa. Sim, todos os livros dele se encaixam dentro disso. Podemos até dizer que John é nosso Nicholas Sparks de 2014/2015.  E não, não estou dizendo que não gosto! hahahaha

Miles, garoto comum, se muda para uma escola internato e lá conhece Alasca, garota irreverente, e acaba se apaixonando por ela, que poderá levá-lo até o seu “grande talvez”.

“Quem é você, Alasca? narra de forma brilhante o impacto indelével que uma vida pode ter sobre outra. Um livro incrível que marca a chegada de John Green como uma voz importante na ficção contemporânea.”

Realmente conseguimos ver que o livro demonstra como a vida de alguém tem impacto sobre outra vida. No livro, a mãe de Alasca morre e isso muda muito da sua visão de vida e muitas das suas atitudes e, a partir do momento que ela conhece Miles, acaba mudando sua vida também de um jeito muito forte.

DSC05167

Esse foi o terceiro livro do João Verde que eu li e posso dizer que é um dos meus preferidos, ou o preferido, entre todos os dele. Estava muito animada para ler ele e sem querer peguei o maior spoiler que eu poderia ter pego na internet (Oh, internet destruidora de ilusões!) , então algumas das situações que acontecem eu já meio que esperava, mas isso não fez com que eu ficasse menos impactada com o jeito que acontece.

Um dos maiores motivos que me fez gostar do livros foi a personalidade da Alasca: forte e irreverente e ao mesmo tempo fraca e totalmente confusa, o que me lembrou muito a Effy de Skins, só que feliz (porque a Effy sorriu quatro vezes na vida e olhe lá…). Outra coisa foi a situação em que os protagonistas se encontram. Tudo é muito realista. A situação família e tragédias que ocorreram nas vidas dos personagens não são muito diferentes das que acontecem hoje em dia e já vem acontecendo desde muito tempo atrás. O impacto das pessoas nas outras: famílias destruídas, a influências dos pais nos filhos e dos amores correspondidos ou não. O ponto mais fraco, na minha opinião, não só desse mas de todos os livros do Joh Green é [SPOILER] o fato de nenhum casal ficar realmente juntos no final das contas. A vida real já é cruel demais para nem nos livros as pessoas que se amam não ficarem juntas!

Mas enfim, a trama é misteriosa e te deixar bastante curioso sobre o porque de tudo acontecer.

Editora: wmfmartinsfontes

Gênero: Drama; Romance;

Páginas: 226

Minha avaliação: ★★★★

Agora sobre o filme (mesmo que ele não vá acontecer… #chateada!):

Não é novidade que a internet estava louca para que a Kaya Scodelario fosse a Alasca. Mesmo sabendo que ela não encaixa nas características físicas que John colocou no livro, ela roubou a personagem para si na mente de muitos leitores.

O que eu gostaria:

Esses atores se encaixaram muito na ideia formada dos personagens na minha cabeça. Pena que, né… (Foto tirada do site da Capricho).

quem-alaska

Para aqueles que reclamam que a Kaya é morena e a Alasca é loira…cabelo se muda minha gente! hahahaah

E esses são os atores que poderiam fazer os papéis quando o filme ainda poderia ser filmado:

(Foto retirada do site AdoroCinema)

Eu super aceitaria esse elenco!

About The Author

Às vezes gosta de romance, as vezes não. Às vezes gosta de drama, às vezes não. Às vezes eclética, às vezes não. Não sou bipolar... às vezes. Bianca, sóbria a 19 anos. Viva a 18 anos. Admiradora de tudo o que parece mais não é, e futura alguma-coisa-da-vida. Adoro ler e principalmente ver as obras que eu gosto entrando no meio cinematográfico, por isso estou formando grupos rebeldes para atacar quem não sabe escolher personagens e muda a história na sua adaptação. Entre em contato: vamos-matar-quem-não-sabe-fazer@rebelião.com Viciada em filmes e séries, gosto de ter livros de capas bonitas mesmo que o enredo não seja bom e enlouqueço quando alguma personagem de qualquer história é uma garota badass. Eu deveria estar estudando.

Related Posts