Com a estreia do filme “O Castelo de Vidro” acontecendo na próxima semana, decidi que era hora de reler o livro que dera origem ao filme, que por sinal é um dos meus livros preferidos. Não sou o tipo de pessoa que fica relendo livros já lidos, mas o fiz por querer ter um olhar mais crítico quando chegasse o momento de assistir a adaptação cinematográfica, bem como recomendar esse livro MARAVILHOSO para os nossos queridos leitores.

“O Castelo de Vidro” é uma história autobiográfica da autora Jeanette Walls e sua família incomum. No livro, a família de Jeannette vive um estilo de vida meio nômade, forçado a certo ponto pela vontade inconstante dos pais, mudando de tempos em tempos e vivendo com muito pouco. Jeanette e seus três irmãos – Lori, Brian e Maureen – são extremamente independentes e inteligentes, tendo em conta os ensinamentos nada comuns dos pais como seus professores e aprendendo a se virar sozinhos ainda muito cedo em meio a lugares inóspitos e infrutíferos.

Como criança, Jeannette não imagina como sua vida está distante da vida de uma criança comum. Ela idolatra o pai e acredita em cada palavra que ele diz, mesmo bêbado. Sua mãe é uma artista, mais interessada em ser reconhecida pelo seu trabalho do que cuidar de seus filhos.

A história de Jeanette é contada por ela, em primeira pessoa, o que certamente a torna ainda mais tocante e sensível. O leitor é levado a observar a trajetória de Jeanette de sua infancia a sua vida adulta, onde tudo é apresentado de forma crua e real. É possivel perceber que a autora está ali para contar sua história exatamente como ela é, sem floreios ou rodeios.

A autora conta sua história como se esta fosse uma ficção, de modo que o leitor consiga esquecer que se encontra lendo, na verdade, uma autobiografia. O mais interessante é que a autora não é tedensiosa, o que é muito dificil de fazer quando você está escrevendo sobre si mesmo.

Inicialmente as crianças vivem alheias ao estilo de vida incomum que levam, se adapatando a qualquer situação a que são expostas. Enquanto isso, nós – leitores – nos contorcemos no sofá ao ler os absurdos pelos quais elas passam, como por exemplo cozinhar sozinha aos três anos de idade ou aprender a atirar com armas de fogo.

A medida que Jeannette cresce, ela começa a perceber que nem tudo é como os pais lhe dizem, bem como pequenas mudanças nas atitudes de seus pais poderiam fazer a vida da famíla mais confortavél.

Certamente me peguei indignada em diversos momentos, com vontade de entrar no livro e cuidar de Jeannette e seus irmãos. Porém, não posso dizer que o estilo de vida imposto por seus pais tenha sido completamente ruim. As crianças são maravilhosas e se importam uns com os outros, bem como a forma de ensino dos pais permitiu que eles florescecem em areas que um escola comum muito provavelmente não proporcionaria.

Apesar das circunstâncias, os irmaõs Walls conseguem sobreviver a todas as situações que lhe são impostas e mostram como a família é sempre aquilo que temos de mais importante em nossas vidas, independente de como ou quem eles são.

O livro é repleto de momentos angustiantes, mas também de espisódios emocionantes e extremamente sensíveis. Quando penso em “O Castelo de Vidro” são os momentos tocantes que vêm a mente, não o restante. Inclusive, existem algumas cenas específicas que eu espero muito ver bem adaptadas no filme, de modo a passar toda a grandiosidade exposta no livro.

Recomendo a leitura de “O Castelo de Vidro” a todas os que gostam de um bom drama, com uma caminhada árdua mas com um final feliz a seu próprio modo. Preparem os lencinhos e o coração!

Gostaria de debater sobre o livro pedacinho por pedacinho, mas aí estragaria a surpresa e a experiência de vocês. Quem sabe depois de assistir o filme podemos fazer uma Review comparativa e com spoilers? 😀

O Castelo de Vidro chega as telonas brasileiras no dia 24 de agosto deste ano. O elenco do filme é formado por alguns grandes nomes, com Brie Larson vivendo a personagem principal nem sua vida adulta e Woody Harrelson e Naomi Watts interpretando os pais nômades das quatro crianças. Veja o Trailer:

O livro teve sua primeira edição publicada no Brasil em 2007, pela Editora Nova Fronteira. Em 2017 a história foi republicada pela Editora Globo Livros com a Capa do Filme. Adicione no Skoob.

Se você já leu o livro, conta pra gente o que achou!

 

About The Author

22 anos. Casada com seu príncipe dos 15 anos. Formada em direito. Julga o livro pela capa SIM e fica muito decepcionada quando um livro bonito tem uma história ruim. Adora assistir adaptações cinematográficas dos livros que leu e não se importa quando a história fica um pouco diferente do original, desde que as características e personalidades dos personagens sejam mantidas. Em resumo: apaixonada por histórias, seja na tela ou no papel. Deve esse vício à sua mãe, que é uma leitora as vezes ainda mais voraz que ela.

Related Posts